Cuidado com o Meio Ambiente | Brita de Ardósia

UTILIZAÇÃO DE BRITA DE ARDÓSIA NA PAVIMENTAÇÃO DE VIAS DE RODAGEM

UM EMPREENDIMENTO PIONEIRO BEM SUCEDIDO E COM EXCELENTES PERSPECTIVAS

A utilização de rejeitos de ardósia, sob a forma de brita e de pó, na construção civil e na pavimentação de vias de rodagem é um assunto controvertido e motivo de debate há anos. Muitos estudos já foram realizados, porém, até o momento, não se verificaram aplicações práticas conclusivas de grande envergadura, devidamente comprovadas.

Agora, MICAPEL SLATE, em parceria com EGESA – Engenharia S. A., executaram um projeto em que o emprego de brita de ardósia na pavimentação de vias de rodagem ocorreu de forma plenamente satisfatória.

EGESA está presente em quase todo o Brasil, em obras e projetos dos mais diversos portes e graus de dificuldade, inclusive na construção de vias rodoviárias. Possui excelente infra-estrutura e alta capacitação de seu corpo técnico.

A partir de 2004, EGESA iniciou a obra de recuperação da Rodovia BR040, Rio de Janeiro – Belo Horizonte – Brasília, do trevo BR040 / MG 420 (entrada de Pompeu) e BR040 / BR135 (entrada de Curvelo), numa extensão de 10 quilômetros e, de 2006 a 2007, o trecho entre Felixlândia e João Pinheiro, com extensão de 230 quilômetros, totalizando 240 quilômetros. A execução do projeto teve a duração de 20 meses.

Motivadas pela consciência da proteção e da preservação do ambiente e cientes do significado de danos ambientais que podem ser causados na obtenção de brita de outras rochas, tais como calcário, MICAPEL SLATE e EGESA estabeleceram uma parceria com base na qual MICAPEL SLATE forneceria, sem custos para este projeto, dejetos de ardósia retirados nos desmontes de abertura de jazidas. EGESA, por sua parte, se encarregaria da montagem de uma usina de britagem, do transporte dos rejeitos de ardósia e da sua britagem.

Esta obra, pela sua extensão e importância,representa um marco histórico no emprego de brita de ardósia para pavimentação de vias rodoviárias e, com toda certeza, foram dirimidas, uma vez por todas, duas grandes dúvidas quanto ao emprego da brita de ardósia para esta finalidade:

    • – Eficiência e eficácia pelo menos igual às demais rochas utilizadas para a produção de brita;
    – A utilização de rejeitos de ardósia para a produção de brita representa uma enorme contribuição à proteção e preservação do ambiente, pois torna desnecessária a abertura de pedreiras para a extração de outras rochas, como calcário.